Folhas são porosas, feitas de múltiplas ramificações. Da raiz às folhas, vamos do mais íntimo ao mais longínquo. Folhas são os extremos que tocam o externo, possibilitam o contato com o outro, são o final de múltiplos entrecruzamentos. As folhas que ora tocam os dedos do leitor trazem as marcas de diversos trânsitos, passagens, mudanças: de terreiro a terreiro; da Europa à África e da África ao Brasil; e no Brasil, do litoral ao interior; e vice-versa; do consciente ao inconsciente; da ignorância ao saber, e, deste, à iluminação místico-religiosa; da exceção à tradição; do próximo ao distante; dentre muitas outras. Da Minha Folha – Múltiplos Olhares sobre as Religiões Afro-brasileiras evidencia as relações de fluxo e ruptura nas tradições afro-ameríndio-brasileiras como o verso da medalha da continuidade e da permanência. Como uma forma de vivenciar a religiosidade marcada pela escravidão e pela violência, mas também pela liberdade espontânea, pela rebeldia e pela tolerância, as Religiões Afro-ameríndio-brasileiras inventam tradições que inscrevem a memória cultural no corpo das pessoas, nos gestos e nos signos visuais, nos emblemas e na interpretação ritualística, na palavra falada em código e não escrita em livros sagrados – uma palavra alada, enraizada e atuante no amálgama de elementos resultante de uma variedade de culturas humanas que é aberta e aditiva, em vez de hierarquicamente fechada; tradições sincréticas, e não sintéticas.

 

Os múltiplos olhares dos escritos nestas folhas perspectivam aspectos desse sincretismo. Os dualismos caem, as fronteiras mostram-se porosas e só se definem em momentos críticos: os signos permanecem distintos, embora ligados ao todo como numa seringueira as folhas ligam-se aos ramos e os próprios ramos conformam o tronco. Pelo esfacelamento ao qual foram submetidas múltiplas culturas, vemos que a continuidade da experiência histórica e a força viva da diferença fazem a verdade das Religiões Afro-brasileiras afirmar sua própria impermanência – não é na cultura estabelecida que encontramos a universalidade verdadeira, mas nas experiências humanas da ruptura, nas descontinuidades da história nas quais se exprime uma humanidade além de limites culturais aceitos e dados como definitivos. Ao nos darmos conta do quanto esse estado instável e vulnerável nos constitui, reconhecemos uma humanidade comum em devir. Que este livro proporcione ao leitor, dessa forma, a experiência do encontro pelo desvio.

 

Prof. Dsc. Cassiano Terra Rodrigues

Coordenador do Curso de Teologia

da FTU – Faculdade de Teologia

Umbandista

 

 

RESENHA

 

Fruto de uma parceria entre a jovem Arché Editora e a Faculdade de Teologia Umbandista, este livro, organizado pelo antropólogo Luiz Assunção, reúne um conjunto de trabalhos dedicado às Religiões Afro-brasileiras, numa tentativa de aproximar diferentes formas de compreensão do fenômeno religioso, seja do ponto de vista acadêmico-científico, seja do ponto de vista teológico. O que salta aos olhos — perceberá o leitor — é a fluidez com que estes pontos de vista se entrecruzam e mostram que a diversidade religiosa no Brasil é um fato tanto na prática como na teoria. Temos aqui a oportunidade de nos aproximarmos de abordagens variadas sobre as diferentes constituições religiosas existentes ao longo do país: desde a tradição da Mina maranhense, passando pela Jurema nordestina, até a popular Umbanda do Sudeste.

 

Os planos se intercalam e o leitor poderá perceber a enorme importância social que têm essas religiosidades de origem africana, em diálogo com as tradições católicas e indígenas, no cotidiano de milhões de brasileiros. Como religiões que integram corpo, mente e espírito, o mérito deste livro está em ressaltar a dinâmica desse processo integrativo, no qual as noções de saúde e doença, ordem e desordem, equilíbrio e ruptura são vistas como um contínuo entre sagrado e profano, natureza e cultura. Como forças da natureza, estes deuses africanos, indígenas, católicos ou mestiços representam também a cultura que os recebe no corpo e na alma de seus filhos.

 

Vagner Gonçalves da Silva

Professor de Antropologia da Universidade de São Paulo

DA MINHA FOLHA: múltiplos olhares sobre as religiões afro-brasileiras

REF: 0004
R$50,00Preço
  • CARACTERÍSTICAS

    Organização: Luiz Assunção

    Formato: 16 x 23 cm

    Páginas: 328 

    Edição: 1

    Ano: 2012

    Acabamento: Brochura

    ISBN: 97885-65742-01-6

Social Midia Icons-02.png
LOGOS Família Arché-01.png
LOGOS Família Arché-02.png
LOGOS Família Arché-03.png

Onde a oralidade e a escrita se encontram.